Home > Doenças > Astigmatismo – Causas, Sintomas, Tratamento

Astigmatismo – Causas, Sintomas, Tratamento

O astigmatismo pode afetar tanto crianças como adultos e é uma situação comum em que a superfície do olho (córnea), não é curvado de forma normal.

Com uma curva anormal da superfície do olho, quando a luz incide sobre a córnea, ela não estará corretamente focada na retina, e a imagem que o paciente vai ver, será desfocada e turva.

Esta doença é congênita ou pode surgir no nascimento, porém, também é possível vir a surgir após uma operação ocular ou a uma lesão no olho.

Existe tratamento possível para corrigir o astigmatismo. O grau de astigmatismo é que vai definir o tratamento a aplicar, mas claro, o médico será o seu melhor conselheiro neste momento!

Como identificar o astigmatismo?

Não é fácil identificar o astigmatismo, principalmente em crianças que acabaram de nascer. Mesmo essas crianças, sem nunca terem conseguido ver uma imagem clara e “normal”, também não vão entender muito cedo de que sofrem com algum problema ocultar.

Um exame ocultar regular é bastante importante, pois a concentração e a leitura de uma criança, pode estar comprometida se sofrer com astigmatismo.

Testes visuais a fazer:

Quando for ao médico, peça para fazer um exame à sua vista. Os procedimentos são simples, sendo que os mais usuais são os seguintes:

  • Teste de acuidade visual: Consiste em identificar as letras num gráfico que se encontra a uma determinada distância. Essas letras vão sendo cada vez mais pequenas em cada linha.
  • Discagem astigmática: Num esquema onde mostra um série de linhas que compõem um semi-circulo, as pessoas sem a doença entendem perfeitamente todas as linhas. Enquanto que, quem sofre com astigmatismo, só conseguem identificar algumas linhas.
  • Queratômetro ou oftalmômetro: Consiste num dispositivo que mede a luz refletida a partir da superfície do olho. Ele mede o raio da curvatura da córnea para avaliar se está normal, ou não.
  • Topografia da córnea: Outro processo que fornece mais detalhes acerca da forma e curva da córnea.

É recomendado que efetue exames ocultares em crianças com idades de 6 meses, 3 anos, antes do 1.º ano de escolaridade, a cada 2 anos depois.

Sintomas do Astigmatismo

Os seguintes sintomas são os mais comuns em pessoas que sofrem de astigmatismo:

  • Visão desfocada e turva;
  • Dores de cabeça frequentes;
  • Piscar os olhos com muita frequência;
  • Dificuldade em dirigir de noite;
  • Tensão ocular.

Mesmo que uma pessoa sinta estes sintomas, não tem que ser obrigatoriamente astigmatismo! Pode indicar outro problema ocular. Mas se sentir pelo menos 1 ou 2 sintomas dos indicados, a visita ao médico para efetuar um teste de visão, será uma ótima ideia!

Principais causas

Como já foi dito, o que causa esta doença é o facto de a curvatura da córnea se encontrar irregular.

A córnea é a camada transparente que cobre a frente do olho. É responsável por transmitir e concentrar a luz na parte e trás do olho, para além de que também protege a vista contra agentes externos.

Quando uma pessoa sofre com astigmatismo, a córnea tem uma forma oval. Devido a ter uma curvatura diferente do normal, os raios de luz vão se concentrar em dois pontos na retina, em vez de num único ponto. Essa situação vai causar a visão embaçada e turva. Em casos de astigmatismo mais grave, pode até causar visão dupla.

Uma grande percentagem de bebês que nasceram prematuros, sofrem com astigmastimo, em comparação com os bebês que nasceram próximos da data de nascimento estimada.

Algumas cirurgias ou lesões oculares podem causar danos na córnea e causar astigmatismo.

Outra doença da visão – ceratocone – é um distúrbio degenerativo do olho onde a córnea vai diminuindo gradualmente tomando uma forma mais cônica. Esta doença também pode ser uma das causas do astigmastismo.

Tratamento para o Astigmatismo

Quando o astigmatismo não é grave, o médico pode sugerir não aplicar qualquer tratamento.

Para outras situações, uma lente corretiva é um tratamento bastante utilizado. Enquanto que, para condições mais severas, a cirurgia a laser pode trazer benefícios para a saúde ocular da pessoa.

Lentes corretivas para o astigmatismo

Estas lentes processam os raios de luz que penetram o olho, de forma a corrigir o erro que é causado pela doença. Assim, as imagens serão projetadas corretamente na retina e a pessoa deixará de ter uma visão turva.

Estas lentes podem ser em óculos ou lentes de contato. Sendo que em crianças com idades inferiores a 12 anos, os óculos é o mais recomendado.

Ortoqueratologia ou Terapia refrativa da córnea

Este tratamento envolve o uso de lentes de contato rígidas, ajustadas ao seu olhos, durante a noite, para remodelar a córnea. Desta forma não vai ter resultados rápidos e permanentes na visão, porém, os utilizadores desta terapia acreditam que ao usar as lentes durante a noite, conseguem ver melhor durante o dia inteiro.

Cirurgia

A cirurgia a laser é  o recomendado para tratar o astigmatismo em pessoas que sofram num grau mais grave.

LASIK: É a cirurgia mais comum, onde o médico utiliza um dispositivo para fazer um corte fino e redondo na córnea. Este tratamento é menos doloroso que outras cirurgias e a visão será recuperada dentro de alguns dias.

PRK (Queratectomia fotorrefrativa): É outro tipo de cirurgia em que a parte da camada protetora externa da córnea é removida, alterando assim a forma da córnea.

LASEK (Ceratomileusis epitelial do laser): Este procedimento é semelhante ao anterior (PRK), mas uma camada muito mais fina é afetada, tornando o olho menos vulnerável a danos ou lesões comparado com a cirurgia anterior.

Quem não pode fazer cirurgia a laser?

Não é qualquer pessoa que pode fazer este tipo de cirurgia! É um procedimento muito delicado e envolve alguns riscos.

Assim, não deverá recorrer a esta cirurgia se:

  • Tiver menos de 18 anos de idade;
  • A visão estiver mudando (por exemplo nos idosos);
  • Sofrer de diabetes;
  • Estiver grávida;
  • Tiver problemas imunológicos (artrite reumatóide, lúpus ou HIV);
  • Tem outros problemas oculares (catarata ou glaucoma);

Quais os riscos e uma cirurgia a laser no olho?

Como foi dito, esta cirurgia não é para qualquer pessoa! Pois tem alguns riscos, eles são:

  • Se o médico remover uma quantidade errada de tecido e a visão piora;
  • Já foram relatados problemas de regressão em que após a cirurgia, os problemas da visão podem voltar;
  • Em alguns casos pode ocorrer perda visual ou piorar após a cirurgia;
  • Poderá vir a ficar com olhos secos após uma cirurgia a laser.

Apesar de serem riscos possíveis, são riscos muito baixos de ocorrer. Os pacientes devem garantir que o cirurgião é qualificado e experiente, devendo ainda confiar no seu trabalho, para que esses riscos sejam minimizados ou até mesmo nulos.