Home > Alimentação > Dieta e alimentos para prevenir e tratar Câncer Colorretal

Dieta e alimentos para prevenir e tratar Câncer Colorretal

Como é do conhecimento geral a alimentação é uma peça fundamental na prevenção de diversas doenças  e no caso do câncer colorretal a situação não é diferente.

Este tipo de câncer é muito comum, principalmente na população mais idosa. Uma dieta equilibrada ou não, torna-se um fator preponderante, caso certas escolhas alimentares não forem as mais adequadas.

Quer durante, quer após o tratamento, a dieta e os alimentos que se devem consumir, são de vital importância no tratamento e prevenção deste tipo de câncer.

Como aparece o Câncer Colorretal?

Nos Estados Unidos, estimam que por ano, cerca de 100.000 novos casos sejam diagnosticados de câncer de cólon e cerca de 45.000 novos casos de câncer retal.

Este tipo de câncer atinge principalmente o cólon e o reto, ou os dois em simultâneo, mais comummente conhecido como intestino grosso.

Pensava-se que este e outros tipos de câncer surgiam devido a predisposição genética, mas hoje sabemos que somente 30%, é genético e que existem inúmeros outros fatores  (a epigenética) que propiciam e que se encontram associados ao surgimento deste tipo de enfermidades.

A epigenética, prende-se com diversos fatores desde o estilo de vida, com fatores ambientais, uso de estupefacientes, poluição, estress, alimentação, prática de exercícios físicos, contatos com substâncias tóxicas e nocivas, que podem alterar o padrão celular.

Este padrão é transmitido a cada nova divisão celular, formando um novo individuo, pelo que o padrão vai mudando de acordo com a circunstância de nossas vivências.

Um individuo pode contrair este tipo de doenças mesmo que seja sadio e que venha a sofrer um duro golpe, como morte de parente próximo, perca de emprego, estresse excessivo,  qualquer vivência que faça perigar seu modo de vida estável e existente.

Como a dieta pode favorecer ou prejudicar o câncer colorretal?

Como já indicámos antes, a dieta tem um papel preponderante neste tipo de doenças.

Maus hábitos alimentares e a precariedade de certo tipo de alimentos que consumimos no dia a dia, podem levar à obesidade, apontada como um dos principais responsáveis.

No texto abaixo vamos mostrar que tipo de alimentos e nutrientes favorecem ou contrariam, o risco de doença cancerígena de cólon e de reto, e tipos de ditas alimentares que amenizem e até previnam o seu aparecimento, ou durante e após o tratamento deste tipo de câncer.

O que devemos evita?

Já todos ouvimos falar das carnes vermelhas e dos maleficios que as mesmas podem causar se consumidas em grandes quantidades e muitas vezes por semana.

O consumo deste tipo de alimento é considerado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), como sendo um alimento de risco elevado para a saúde, de contrair o câncer colorretal, pelo que se aconselha o seu consumo com moderação.

Carnes vermelhas, englobam, a carne bovina, caprina, suína, equína, e ovina, excluindo naturalmente as aves.

Uma dieta alimentar baseada neste tipo de alimentos e segundo indicam estudos recentes sobre este tema polémico, existe uma correlação entre o consumo destes alimentos, direta ou indiretamente, om o câncer colorretal.

Isto, em detrimento de outros nutrientes como frutas, fibras e vegetais, essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo.

Um estudo recente no norte da Itália mostrou que indivíduos que consomem diariamente muita proteína, e ainda ovos, queijo e outros alimentos gordurosos, bem como associados a carbo-hidratos processados refinados, têm um risco superior, quase duplicando, de evoluir para um câncer colorretal, do que seus conterrâneos, com uma dieta à base de plantas.

Outros estudos comprovaram que o consumo destes alimentos (mais de 100 grs diárias) podem aumentar a incidência desta enfermidade entre 12 a 17% de um aumento de risco significativo.

Carnes processadas como Bacon, salame, fiambre, salsichas e outros alimentos idênticos processados, cerca de – 50 grs – consumidos numa base diária, aumenta o risco de contrair câncer colorretal em cerca de 18%.

Novamente e segundo a OMS carnes processadas são consideradas cancerígenas para a saúde do ser humano e por conseguinte, um veneno que se ingere quase que diariamente.

Já neste ano e segundo um estudo publicado pelo Jornal de Medicina Britânico, que revelou que alimentos altamente processados, podem desenvolver e aumentar significativamente o risco para outros tipos de câncer.

Prevenção : O que devemos comer?


Se devemos evitar o que é processado, e se consumirmos carnes vermelhas leva a que se contraia vários tipos de câncer, o que devemos privilegiar, para proteção efetiva do nosso organismo?

Uma dieta repleta de vegetais, saladas coloridas, quanto mais coloridas melhor, repletas de nutrientes e sais minerais, frutas, grãos integrais, peixes, mariscos, aves, poderiam amenizar o risco de contrair este tipo de doenças.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia (Loma Linda), descobriram que as dietas baseadas no vegetarianismo encontram-se ligadas a um risco menor de contrair o cancer colorretal.

Estes cientistas estudaram 4 versões da dieta baseada em vegetais, tais como:

  1. Vegan – sem nenhum produto animal;
  2. Ovo-Lacto-Vegetariana, que exclui a carne mas inclui ovos e lacticínios;
  3. Pesco- Vegetariana: exclui a carne, mas consomem peixe;
  4. Semi-vegetariano – consomem carne e peixe com pouca frequência.

Conclui-se que dietas baseadas maioritariamente em vegetais, têm uma menor propensão de contrair câncer do que as não vegetarianas.

O prato deve conter uma maior superfície de vegetais crus e cozidos e quanto mais colorido for melhor, pois mais nutrientes estaremos a consumir e igualmente vitaminas vitais para o bom funcionamento do nosso organismo.

Alimentos como batata doce roxa, vegetais folhosos mais escuros, como a couve e os espinafres, possuem compostos vitamínicos que reduzem os níveis de certas proteínas pró-inflamatórias no nosso corpo, uma vez que é  a inflamação que propicia (ambiente ácido), o surgimento do câncer do cólon.

Outros estudos mostraram que uma dieta mediterrânica pode evitar e até prevenir o aparecimento do câncer colorretal. Para que isto possa acontecer, baixo risco de contrair a doença, deve-se ingerir muitas frutas, verduras, nozes e grãos integrais, ovos, peixe e mariscos ( consumir comida de verdade), no lugar da carne e reduzir ao máximo, se não mesmo excluir o consumo de refrigerantes e reduzir o consumo de álcool.

Tratamento – durante e após – O que comer?

O Instituto do Câncer Dana- Farber em Boston nos EUA, emanou algumas diretrizes sobre todos os doentes que se encontram em tratamento para o câncer colorretal, que devem sempre priviligiar a dieta e as refeições coloridas e comer a maior e melhor variedade de frutas e vegetais para proteger o sistema imunológico.

Outra recomendação será comer pequenas porções e várias vezes ao dia, para os que já iniciaram o tratamento.

Hidratar-se, beber muita água e líquidos, sem adição de açúcar, bebidas processadas são proibidas, e evitar ou reduzir drasticamente o consumo de álcool e cafeína que podem esbarrar com a tomada de certos medicamentos, provocando o efeito contrário ou potenciando o efeito destes.

Pesquisadores chegaram à conclusão que o consumo de vegetais e fontes de fibra (alimentos alcalinos) (próximos do PH do sangue), podem melhorar as taxas de sobrevivência nos pacientes com câncer colorretal de estágio 1.

Comer grãos integrais favorece igualmente um melhor resultado no tratamento prescrito.

Consumir cerca de 57 grs de nozes, como castanhas, avelãs, nozes  e pistácios, baixaram quase para metade o risco de recorrência de câncer de cólon, para os pacientes após o tratamento desta doença.

O consumo destas oleaginosas reduziu cerca de 53% o risco de morte pós tratamento.

No que refere haver um risco de recorrência de um 2º câncer, este pode ser reduzido desde que se observem as regras indicadas e adequadas, fazendo as mesmas escolhas saudáveis, para um câncer em 1ªmão.

Dentro de todos os aspetos que se consideram de hábitos saudáveis e a manter, aconselha-se a mautenção de um peso saudável, alimentação de verdade, não ácida, vegetais a gosto, frutas e oleaginosas com moderação, nas refeições de todos os dias e evitando o consumo de álcool.

Na realidade e como já indicámos acima, o Dr. Victor Moreno e seus colaboradores da Universidade de Barcelona em Espanha, descobriram que os fatores do estilo de vida são mais importantes do que os riscos inerentes aos fatores genéticos (propensão genética), quando se refere ao desenvolvimento do câncer colorretal.

Citando “Isso é importante, considerando que o estilo de vida, diferente dos traços genéticos, é algo modificável”.

Assim, devemos reformular as nossas escolhas pessoais e de saúde, vivências e outras de cariz ambiental que podem ajudar muito no alcance de resultados positivos e até evitar esta doença, onde  Prevenir é a palavra Chave.