Home > Alimentação > Adoçantes fazem mal à saúde? A versão light é melhor que a original?

Adoçantes fazem mal à saúde? A versão light é melhor que a original?

Como todos sabemos, quando falamos de adoçantes no que pensamos de imediato? Pensamos nos produtos com teor reduzido de açúcar ou até mesmo zero açúcares. Mas será que estas versões light são benéficas para a saúde? O que devemos então consumir? As versões light e zero açucares ou os produtos produzidos de forma normal?

Adoçante faz mal à saúde ou é mito?

O mercado tem normalmente à nossa disposição uma vasta opção de todo o género de alimentos que na sua composição possuem teor reduzido de açúcares ou até mesmo zero açúcares.

As versões light ocupam grande parte das prateleiras dos nossos supermercados e são largamente publicitadas como sendo a descoberta do século! Mas a eterna questão é somente esta: Devemos optar pelas versões light ou fazem mal e devemos consumir o produto original, sem redução de açúcares? Podemos afirmar que nas questões meramente calóricas a resposta é sim. Por exemplo, uma lata de coca-cola original tem cerca de 140 calorias e a cola zero não tem calorias ou tem menos que 1 caloria. Por outro lado consumir um iogurte light ou uma gelatina com menos de metade das calorias do produto original, torna-se igualmente uma boa opção de escolha em termos calóricos.

Neste caso se estas opções são as mais aconselhadas, porque ainda nos interrogamos quanto ao seu consumo?

Bem podemos afirmar que a questão principal prende-se com a relação entre estes produtos fabricados artificialmente e alguns tipos de doenças cancerígenas. Todos estamos expostos a este tipo de substâncias quando consumimos os edulcorantes, nas bebidas gaseificadas, quando adoçamos o café, no chá e outras bebidas que consumimos no dia a dia. Mesmo sabendo que estas substâncias se encontram controladas, o risco de contrairmos certos tipos de câncer é real e torna-se de certa forma potenciado pelo consumo destas ditas substâncias. As doenças cancerígenas a que estamos sujeitos são entre outras, o linfoma, o câncer da laringe, leucemia e o múltiplo mieloma nos homens (doença maligna da medula óssea).

Por outro lado podemos afirmar que estes tipos de alimento reduzem o risco de aparecimento do câncer de mama e de câncer do ovário. Isto não significa que este tipo de substâncias beneficie as mulheres e prejudique os homens. Já foram realizados alguns estudos que revelam que o facto de consumir adoçantes está associado ao desenvolvimento de câncer mas não quer isso dizer que seja a principal causa.


Então podemos ou não consumir adoçantes?

Como já tivemos oportunidade de referir os edulcorantes embora possam em termos calóricos ser aceitáveis, o seu uso indiscriminado  pode tornar-se prejudicial para a nossa saúde. Será que o nosso corpo se deixa enganar com tanta facilidade? Edulcorante não é açúcar. Estes produtos transmitem um certo sabor parecido com o do açúcar e são bem aceites pelo nosso palato. De notar que estas substâncias, que estando longe de conseguir estimular algumas das nossas hormonas, que são responsáveis pela redução do nosso apetite, de certo modo vêm substituir o poderoso açúcar, que nem é saciente. Por outro lado, e como estas substâncias não têm calorias, o cérebro, não as reconhece como açúcares, pelo que tende a solicitar que lhe seja fornecido alimentos mais doces,  como compensação pela falta de açúcares. O estímulo que é produzido ao nível do cérebro não se verifica, pelo que essa insuficiência acarreta um maior consumo de doces, sendo esta a compensação, para que o cérebro se sinta saciado. Outro aspecto negativo mas igualmente relevante está nas alterações que estes efectuam ao nível da nossa flora intestinal, que podem vir a causar distúrbios de intolerância à glicose e que produzem o mesmo efeito quando há consumo excessivo de açúcar.

Podemos consumir adoçantes e alimentos light todos os dias?

Podemos afirmar que os edulcorantes são benéficos para nossa saúde quando se trata meramente de gestão e controle de peso e ingestão de alimentos menos calóricos, mas têm que ter uma utilização moderada e não podem ser consumidos numa base diária, como única substituição de alimentos mais açucarados.

Resumindo, se o seu consumo de bebidas gaseificadas for em excesso, a solução para este problema não será de todo optar pela versão light, mas sim pela ÁGUA. Como já tivemos oportunidade de referir e para além destas substâncias, o ácido fosfórico que certos refrigerantes, bebidas gaseificadas e outras com sabores a frutas, contêm, são prejudiciais para os nossos ossos e dentes. Por outro lado se o consumo destes alimentos se faz de forma natural, uma vez por outra, se o seu consumo não se faz de uma forma constante, pode optar pela versão que mais prazer lhe der ao paladar, na certeza porém que beber com edulcorantes se torna melhor para a saúde do que beber os produtos originais com excesso de açúcar.

Devemos pois consumir todas estas substâncias de forma regrada, com precaução, para que a nossa saúde não saia prejudicada e para que de vez em quando possamos “pecar” sem culpas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *