Home > Doenças > Pneumonia por Mycoplasma – O que é? Sintomas e Tratamentos

Pneumonia por Mycoplasma – O que é? Sintomas e Tratamentos

A Mycoplasma pneumoniae, é uma bactéria que provoca a Pneumonia por Mycoplasma. Esta é uma doença altamente contagiosa.

Esta doença que se caracteriza por uma infeção bacteriana respiratória e que se dissemina rapidamente, através dos fluídos respiratórios.

A Pneumonia por Micoplasma, ou apenas MP, como é conhecida no meio cientifico, também é chamada de pneumonia ambulante e é considerada atípica. Pode começar por um simples resfriado, mas ela se propaga através dos espirros e tosse de indivíduos infetados.

Isto acontece principalmente em ambientes populosos, como campus universitários, escolas com muitos alunos e particularmente em lares de idosos.

A pessoa infetada ao tossir ou espirrar, vai espalhando no ar aquela umidade da bactéria que é facilmente liberada no ar.

Assim, pessoas que estão saudáveis e sem problemas de saúde, acabam inadvertidamente por respirar aquelas bactérias que circulam livremente no ar, acabando por ficar infetadas.

Esta bactéria é bastante contagiosa, e acredita-se que 1/5 das infeções pulmonares são causadas (fora do ambiente hospitalar) pela bactéria Mycoplasma pneumoniae.

Estes seres microscópicos são os precursores das traqueobronquites (resfriados no peito), dores de garganta e infeções de ouvidos, favorecendo o aparecimento de peumonias.

Um dos sintomas mais comuns desta infeção é a presença de tosse seca.

Se a condição não for tratada atempadamente pode resultar em danos graves para saúde do individuo, afetando o coração, rins, cérebro, pele, o sistema nervoso periférico, com grandes probabilidades de provocar anemia hemolítica.

Em algumas situações esta infeção pode até ser mortal se não tratada a tempo.

Para chegar a alguma conclusão sobre esta doença, o diagnóstico é dificil porque os sintomas são poucos e incomuns, pelo que não é de todo possível aferir precocemente se estamos perante uma MP.

A forma de tratar esta bactéria é através da admnistração de antibióticos.

Caso a pneumonia for grave e esta não ceda aos antibióticos orais, é necessário administrar estes mesmos medicamentos por via intravenosa para se poder resolver a situação.

Os sintomas da MP são diferentes da pneumonia causada por bactérias comuns a típica pneumonia, como a Streptococcus e Haemophilus.

Os pacientes que contrairam a MP possuem tosse seca, uma leve falta de ar, febre baixa, fadiga, e respiram com dificuldade.

Quais as causas da Pneumonia por Mycoplasma?

A bactéria responsável por esta doença é a mais agressiva de todos os patogénicos humanos reconhecidos. São mais de 200 espécies diferentes conhecidas.

Assim que a bactéria entra em contato com o tecido pulmonar, fica alojada nesse tecido e se multiplica até que desenvolva uma infeção pulmonar.

De notar que a maior parte dos casos de pneumonia por mycoplasma, é leve e sem outras complicações.

Quem pode desenvolver a MP?

Antes que a pneumonia por mycoplasma se torne uma infeção em adultos saudáveis, o sistema imunológico vai combater o invasor.

Há certos grupos com risco acrescido de contraírem a bactéria:

  • Idosos – cujo sistema imunológico se encontra mais fragilizado;
  • Indivíduos com certas doenças consideradas crónicas como o HIV, ou que se encontram sob o efeito de esteróides, imunoterapia e/ou quimioterapia;
  • Indivíduos que já têm doenças pulmonares;
  • Indivíduos com doença falciforme;
  • Crianças com idade inferior a 5 anos.

Quais são os sintomas da MP?

Como já vimos mais acima os sintomas são incomuns e atípicos, pelo que saber os sintomas de ante mão pode ser um diagnóstico não preciso.

Esta bactéria imita uma infeção respiratória superior ou um vulgar resfriado, em vez de uma infeção respiratória inferior ou uma pneumonia.

Esses sintomas, podem apresentar:

  1. Falta de ar ligeira;
  2. Tosse seca e irritativa;
  3. Mal estar geral e constante;
  4. Febre baixa persistente.

A infeção pode vir a tornar-se perigosa e causar lesões graves no coração e/ou o sistema nervoso central, embora esta condição seja rara.

Porém existem certos distúrbios, a saber:

  • Artrite – as articulações ficam inflamadas e doloridas;
  • Síndrome de Guillain-Barré – um distúrbio neurológico que pode levar à paralisia e ser fatal;
  • Pericardite – uma inflamação do pericárdio que envolve o coração;
  • Colapso renal;
  • Encefalite – uma inflamação potencialmente fatal para o cérebro – inflamação do encéfalo;
  • Anemia hemolítica –  inclui algumas condições que resultam na destruição prematura de eritrócitos;
  • Condições de pele raras e perigosas, como síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica;
  • Problemas de ouvido raros, como miringite bolhosa (é quando se forma uma bolha sobre o tímpano);

Diagnóstico da Pneumonia por Mycoplasma

Como esta doença é atipica e não apresenta sintomas consistentes, estes são imperceptíveis de serem reconhecidos nas primeiras  3 semanas, após os indivíduos terem sido contaminados com a bactéria.

Estes sintomas podem confirmar uma infeção se forem detetadas bactérias fora dos pulmões.

Se realmente a infeção se manifestar, pode ocorrer o rompimento das hemácias (glóbulos vermelhos), havendo erupção cutânea e o comprometimento a nível articular.

Para fazer um diagnóstico mais preciso, o médico da sua confiança irá através do estetoscópio, ouvir e avaliar os sons anormais emitidos pela sua difícil respiração.

Poderá solicitar outros exames auxiliares de diagnóstico, como um RX,  ou uma TC e pedir igualmente exames de sangue para confirmar a infeção.

Quais as opções de tratamento?

Antibióticos

Como a bactéria é realmente bastante contagiosa, os antibióticos estão na base do tratamento da MP.


Para impossibilitar os efeitos adversos e colaterais potencialmente perigosos desta bactéria, nas crianças também são administrados antibióticos, mas diferentes dos dos adultos.

Como 1º  escolha dos antibióticos para crianças estão os macrolídeos, como segue:

  • Eritromicina;
  • Claritromicina;
  • Roxitromicina;
  • Azitromicina.

Antibióticos para adultos incluem:

  • Doxiciclina;
  • Tetraciclina;
  • Quinolonas, como levofloxacina e moxifloxacina.

Para que haja realmente um controle eficiente da inflamação, por vezes os antibióticos não são suficientes, pelo que terá que ser tratado com  corticosteróides.

Alguns corticosteróides usados, são;

  1. Prednisolona;
  2. Metilprednisolona;

Terapia imunomoduladora

Se o problema for muito grave, pode mesmo necessitar de outras terapias imunomoduladoras. Para além dos corticosteróides, como a injecção intravenosa de imunoglobulina, ou IGIV (sigla).

Como posso prevenir a Pneumonia por Mycoplasma?

Os meses de Outono e de Inverno são os mais propícios para contrair esta doença.

Espaços muito populosos, favorecem a disseminação da infeção que passa de individuo para individuo.

Como medida de prevenção, aconselha-se:

  • Tente dormir pelo menos de 6 a 8 horas por noite;
  • Ter uma dieta equilibrada e um estilo de vida saudável;
  • Mantenha-se afastado de pessoas que saiba que já contraíram a MP;
  • Após interagir com pessoas infetadas, lave bem as mãos;
  • Lave bem as mãos antes e depois de comer.

Como as crianças são afetadas pela Pneumonia Mycoplasma?

As crianças são geralmente mais sujeitas a certo tipo de infeções respiratórias, que os adultos.

Isto porque as crianças estão normalmente inseridas em grandes grupos de outras crianças nas escolas ou noutros espaços, e que coabitam com outras já infetadas e até mesmo em contato com outros adultos infetados.

Sempre que o seu filho apresente algum destes sintomas, deve consultar o médico com urgência:

  1. Tosse seca persistente;
  2. Constipação ou sintomas de gripe que durem mais do que 7/10 dias;
  3. Febre baixa persistente;
  4. Chiadeira ao respirar;
  5. Fadiga constante e mau estar geral, que não passa;
  6. Dor no estômago e no peito;
  7. Vômitos e náuseas.

Para um diagnóstico mais adequado o médico pode proceder da seguinte forma:

  1. Escutar através de estetoscópio a respiração do seu filho;
  2. Pedir um exame radiológico ao tórax;
  3. Fazer uma análise de retirada de muco (cultura bacteriana) do nariz ou da garganta;
  4. Pedir análises ao sangue;

Assim que o médico souber qual é o diagnóstico, pode prescrever um antibiótico com duração de entre 7 a 10 dias, para poder tratar a infeção.

Os antibióticos que mais se prescrevem para crianças são os macrolídeos (grupo de antibióticos de largo espectro usados no tratamento das infecções bacterianas e fúngicas comuns).

Porém, o médico também pode prescrever outro tipo de antibióticos como sejam as ciclinas ou quinolonas.

Em casa, assegure-se que o seu filho não partilhe objetos de uso pessoal com outras crianças ou adultos, tais como pratos, copos, talheres, escovas de dentes e outros, para evitar a contaminação e que a MP se espalhe mais rapidamente.

Esteja atento, hidrate o seu filho com muitos líquidos, água e chás.

Se necessário use uma almofada de aquecimento que irá amenizar qualquer dor no peito existente.

Situações há em que a infeção no seu filho pode ser curada no prazo de 15 dias, mas em alguns tipos de infeções mais graves, pode prolongar-se por até 6 semanas, para a sua cura definitiva.

Há complicações por Pneumonia por Mycoplasma?

Estas infeções respiratórias podem a todo tempo transformar-se em algo mais grave.

Se tem asma, a doença pode agravar consideravelmente os sintomas. Isto quer dizer que pode desenvolver-se uma pneumonia mais grave.

É raro a pneumonia por mycoplasma se tornar crônica, mas pode causar danos irreversiveis nos pulmões. Em situações igualmente raras, se não for tratada devidamente pode até ser mortal.

Sempre que os sintomas tenham duração superior a 15 dias, não deve esperar que passe, mas consultar o seu médico com urgência.

Conclusão

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, a bactéria Mycoplasma Pneumoniae, está considerada a segunda causa com um maior número de hospitalizações, em indivíduos adultos.

Como já vimos anteriormente indivíduos com o sistema imunitário enfraquecido e fragilizado, como com o HIV têm uma maior propensão a contrair a doença.

Por outro lado, indivíduos que são geralmente tratados com esteróides e imunomodeladores ou quimioterapia, são igualmente um grupo de risco agravado, no combate à infeçao por esta bactéria e correm um sério risco de reinfeção no futuro.

A maioria dos indivíduos após contraírem uma infeção aguda, acabam por desenvolver anticorpos contra esta bactéria, isto acontece porque os anticorpos os protegem de virem a ser reinfetados.

Para outras pessoas que foram infetadas, após uma ou duas semanas de tratamento, os sintomas deverão diminuir.

Poderá persistir uma tosse seca, que na maioria das situações é resolvida no prazo máximo de 6 semanas.

No entanto, a maior parte destas condições se resolvem sem consequências de maior gravidade.

Em qualquer dos casos é sempre necessário consultar o seu médico desde que apresente os sintomas descritos acima, e se isso estiver a dificultar a sua rotina diária.

Pode precisar de tratamento,  se for diagnosticado atempadamente, para evitar que haja complicações acrescidas que possam ter sido causadas direta ou indiretamente pela bactéria Mycoplasma Pneumoniae.