Home > Problemas de Saúde > Pano Branco – Causas, Sintomas e Tratamento

Pano Branco – Causas, Sintomas e Tratamento

A doença de Pano Branco, mais concretamente Pitiríase versicolor que também é chamada de micose de praia ou Tinea versicolor, é uma micose e infeção da pele muito comum.

Esta doença causa placas escamosas parecidas com o farelo, que aparecem no tronco e nos braços, rosto, pescoço e couro cabeludo. Aparecem com maior frequência, nas partes mais gordurosas do corpo.

Por mais estranho que possa parecer, e apesar do nome “micose de praia”, esta condição não aparece devido a ida à praia ou à piscina. As manchas na pele são provocadas por um fungo que habita todas as peles dos seres humanos, e que em algumas pessoas se desenvolve, provocando a escamação da pele e as consequentes manchas que mesmo com a exposição solar não se bronzeiam.

O termo “pitiríase” é usado para descrever condições de pele em que as manchas se  parecem com o farelo. As múltiplas cores da pitiríase versicolor originam a segunda parte do nome, versicolor.

Que pessoas podem contrair o Pano Branco?

Esta doença afeta principalmente jovens adultos e é um pouco mais comum em homens do que em mulheres. Também pode afetar crianças, adolescentes e adultos mais velhos.

A pitiríase versicolor é mais comum em climas quentes e úmidos do que em climas frios e secos. Muitas vezes, afeta pessoas que transpiram de forma intensa. Pode desaparecer nos meses de inverno e repetir-se a cada verão.

Embora não seja considerado infeccioso no sentido convencional, o pano branco às vezes afeta mais de um membro de uma família.

Quais são as características do Pano Branco?

A pitiríase versicolor afeta o tronco, pescoço e/ou braços, bem como rosto e pescoço, e é incomum em outras partes do corpo. As manchas  podem ser acastanhadas, mais pálidas do que a pele circundante, ou rosáceas, que se formam em manchas pequenas e se vão alargando para manchas maiores. As manchas pálidas podem ser mais comuns em uma pele mais escura; Essa aparência é conhecida como pitiríase versicolor alba. Às vezes, as manchas começam escamosas e castanhas, e depois passam para um estagio branco e não escamoso.

O pano branco é geralmente assintomático, mas algumas pessoas sentem coceira.

Em geral, manchas pálidas ou escuras devido a pitiríase versicolor não são mais ou menos propensas a queimaduras solares do que a pele à sua volta.

Qual a principal causa de Pano Branco?

O pano branco é causada pelo crescimento micelial de fungos do gênero Malassezia.

Malassezia faz parte da microbiota (microorganismos encontrados na pele normal). Eles são dependentes de lipídios (gordura) para poderem sobreviver.

Foram identificadas catorze espécies diferentes de malassezia. As espécies mais comuns a partir da pitiríase versicolor são M globosa, M restricta e M sympodialis.

Geralmente, a malassezia cresce esparsa nas áreas seborreicas (como o couro cabeludo, face, tórax e braços) sem causar uma erupção cutânea.

Não se sabe por que crescem mais ativamente na superfície da pele de pacientes propensos a pitiríase versicolor. Uma teoria defende que  metabólicamente  será dependente do triptofano.

As leveduras induzem melanossomos alargados (grânulos de pigmento da pele) nos melanócitos basais no tipo castanho da pitiríase versicolor. É mais fácil mostrar leveduras em raspagens retiradas deste tipo de pitiríase versicolor do que naquelas tiradas do tipo branco.


O tipo branco ou hipopigmentado de pitiríase versicolor julga-se que é obtido devido a um produto químico produzido pela  malassezia que se difunde na epiderme e prejudica a função dos melanócitos.

O tipo rosa de pitiríase versicolor torna-se ligeiramente inflamado, devido a dermatites induzidas por malassezia ou seus metabolitos. A pitiriasis rosa e a dermatite seborreica podem coexistir, uma vez que ambos estão associados à malassezia.

Esta doença, do tipo hiperpigmentado, hipopigmentado e inflamado  são geralmente vistos como variantes distintas desta condição mas podem, por vezes, co-existir.

Como saber se tenho Pano Branco?

O pano branco geralmente é diagnosticado clinicamente. No entanto, podem ser pedidos os testes clínicos que se seguem:

  1. Exame de lâmpada de madeira (luz negra) – fluorescência amarelo-verde pode ser observada em áreas afetadas;
  2. Microscopia com hidróxido de potássio (KOH) para remover células da pele – hifas e células de leveduras que se assemelham a esparguete e almôndegas, podem ser observadas;
  3. Cultura fúngica,  geralmente o resultado é negativo, pois é bastante difícil induzir as leveduras a crescerem em  ambiente laboratorial;
  4. Biópsias à pele – fungos podem ser vistos no interior das células externas da pele  estrato córneo) no exame histopatológico. Outros exames especiais podem ser necessários.

Qual o tratamento eficaz para o Pano Branco?

A pitiríase versicolor leve é tratada com pomadas ou cremes antifúngicos tópicos, tais como:

  1. Creme / shampoo tópico de azole (econazole, ketoconazole);
  2. Sulfureto de selênio;
  3. Gel de terbinafina;
  4. Ciclopirox creme / solução;
  5. Solução de propileno glicol;
  6. Solução de tiossulfato de sódio;

O medicamento deve ser amplamente aplicado em todas as áreas afetadas antes da hora de dormir durante um certo e determinado período de tempo, (geralmente entre 3 dias e cerca de duas semanas, dependendo da extensão da erupção cutânea).

Os agentes antifúngicos orais, itraconazol e fluconazol, são utilizados para tratar a pitiríase versicolor quando extensa ou se os agentes tópicos falharem.

A terbinafina oral, um agente antifúngico usado para tratar infecções dermatófitas, não é eficaz para infecções por malassezia, como a pitiríase versicolor.

Um exercício vigoroso uma hora depois de tomar a medicação pode ajudar a transpirar na superfície da pele, onde pode efetivamente erradicar o fungo.

O banho deve ser evitado por algumas horas. Alguns dias de tratamento irão limpar muitos casos de pitiríase por longo período, ou pelo menos por vários meses.

Recorrências do Pano Branco

Este problema de pele geralmente é irradicado de forma satisfatória com o tratamento, mas muitas vezes se repete quando as condições são propícias para a proliferação da malassezia.

Quando o componente escamoso da pitiriasis versicolor se repete, o tratamento antifúngico deve ser repetido.

Naqueles que têm recorrência frequente, shampoo antifúngico ou tratamento antifúngico oral podem ser prescritos por um a três dias por mês.

Ocasionalmente, as marcas brancas persistem muito depois de a escamação e as leveduras desapareceram e apesar da exposição ao sol.

Nesses casos, o tratamento antifúngico adicional é inútil.

Veja também: Manchas brancas na pele – O que pode ser?