Home > Medicamentos > Efeitos secundários dos remédios para emagrecer

Efeitos secundários dos remédios para emagrecer


Muitas pessoas, desesperadas por perder peso, procuram medicamentos e remédios para emagrecer, o que pode não ser a melhor opção!

Ingerir remédios e medicamentos significa introduzir uma substância química no nosso organismo que irá provocar alterações no nosso corpo com a finalidade de obter resultados. Porém, o mecanismo através do qual esses resultados são obtidos, pode interferir com outros mecanismos no corpo, e provocar alterações indesejadas. Confuso? Continue lendo que irá entender melhor.

Existem disponíveis diversos medicamentos que podem ser utilizados na ajudam da perda de peso, até podem ser eficazes no início, mas será que o efeito se prolonga? Alguma vez se perguntou se os medicamentos para emagrecer fazem mal? Ou quais são os efeitos secundários dos remédios para perder peso?

Efeitos secundários e indesejados dos medicamentos para emagrecer

Se sofre de obesidade e procura perder peso, está de parabéns por pelo menos estar procurando ajuda, mas se está pensando em medicamentos, talvez não seja a melhor opção.

Entre vários tipos de medicamentos para emagrecer, vamos falar dos mais usados: inibidores de apetite, queimadores de gorduras, inibidores da absorção de gordura, diuréticos e laxantes.

Todos eles, de uma forma ou outra, acabam por reduzir o peso, mas infelizmente não o fazem da forma mais saudável, e o risco é superior ao benefício.

Veja aqui os efeitos colaterais que este tipo de remédios têm:

Inibidores de apetite

Estes remédios vão atuar diretamente no cérebro e fazem com que seja produzida serotonina, sentido uma sensação de bem estar e reduzindo a vontade de comer.

Porém, estes remédios também têm o seu lado negativo, eles provocam diarreias fortes, aumentam a tensão arterial (hipertensão), causam cansaço e fadiga, dependência e em casos mais graves podem acabar por levar à morte.

Queimadores de gorduras

Estes remédios procuram aumentar o ritmo do metabolismo para obrigar o corpo a queimar mais calorias e consequentemente gorduras durante o dia.


Ainda assim, o uso destes remédios acabam por originar situações de ansiedade, nervosismo, dores de cabeça, diarreia, alucinações e falta de ar.

Inibidores da absorção de gordura

Uma classe de medicamentos facilmente encontrada em farmácia ou lojas de produtos naturais, que evitam que o corpo absorva gordura, excluindo-a em forma de diarreia!

Sempre que alguém toma este medicamento para evitar a absorção de gordura e depois come algo gorduroso, vai acabar por ter diarreia.

Para além das dores de barriga e diarreia, este medicamento também provoca aumento da pressão sanguínea, cansaço e tem algumas interações com outros medicamentos.

Diuréticos e Laxantes

São remédios que servem para eliminar o excesso de líquido, útil para quem sofre de retenção de líquidos, mas elimina através do excesso de urina ou através de diarreia.

O consumo destes medicamentos, para além da diarreia, provoca problemas nos rins, possibilidade de ataque cardíaco ou infarto, diminuição da pressão sanguínea (hipotensão), tonturas, perda de água, vitaminas e sais minerais.


Se realmente é o seu desejo usar medicamentos para emagrecer, antes de mais fale com o seu médico, evite automedicar-se, pois os riscos são muito grandes e podem ter consequências graves para a sua saúde!

Qualquer medicamentos destas classes referidas anteriormente são facilmente encontrados em farmácias, e devem ser receitados pelo médico, mas será que o seu benefício é superior ao risco?

Uma alimentação saudável e exercício vários dias por semana, ou alguns minutos por dia, não será suficiente para ajudar a emagrecer e a eliminar o excesso de peso?

Para além de todos esses riscos e efeitos secundários dos medicamentos referidos, eles acabam por perder o efeito quando usados a longo prazo. Podem ser bastante eficazes no início, mas passadas algumas semanas, vão perder o seu efeito, e pior ainda, você vai começar a recuperar todo o peso que conseguiu perder de início.