Home > Doenças > Sintomas da Doença de Crohn em Mulheres

Sintomas da Doença de Crohn em Mulheres

A doença de Crohn  é uma doença crónica que afeta a saúde do intestino e do sistema digestivo. Esta é uma doença que faz parte do grupo de doenças auto-imunes, como a doença Celíaca, doença de Alzheimer, Diabetes tipo I, Esclerose Múltipla, entre outras.

Neste tipo de enfermidades o corpo tem uma  reação imunitária anormal em que o corpo ataca uma parte normal do  próprio organismo, neste caso, o intestino.

A inflamação pode ocorrer no intestino grosso, no intestino delgado e/ou em qualquer secção do aparelho digestivo.

Esta é uma condição de longo prazo, que inclui igualmente a colite ulcerativa, conhecida como uma doença intestinal inflamatória.

Embora a doença de Crohn possa aparecer em pessoas de qualquer idade, o mais usual é que se manifeste em homens e mulheres com idades compreendidas entre os 15 e os 35 anos.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, a doença de Crohn afeta entre 26-199 pessoas por 100.000 habitantes.

Esta enfermidade apresenta largos períodos sem qualquer sintoma e/ou sinal, conhecido como remissão. Pode de um momento para o outro manifestar-se repentinamente com surtos dolorosos e fadiga permanente.

Doença de Crohn em Mulheres – Como se manifesta

Verifica-se que cerca de 50% das mulheres portadoras desta doença tenham menos de 35 anos de idade no momento em que é diagnosticada a doença.

Sintomas da doença de Crohn nas mulheres, abrangem:

1. Irregularidades nas Regras (Períodos);

Esta doença pode causar nas mulheres infertilidade e instabilidade na periodicidade do ciclo menstrual;

Neste caso os principais fatores de irregularidade no período, num surto de doença de Crohn, afeta os niveis hormonais, a nutrição e o estresse, que tem um papel preponderante no ciclo menstrual da mulher.

Esta enfermidade cria uma obstrução no normal funcionamento dos hormônios, desencadeando outras causas mais comuns como a diarreia, e a falta de apetite, o que vai dificultar a absorção adequada dos nutrientes, vitaminas, e sais minerais.

Esta doença pode ainda causar perca de mobilidade, incapacitante para o desempenho das tarefas do dia a dia, podendo causar estresse e por conseguinte afetar a qualidade de vida do paciente.

Esta incapacidade pode revelar-se antes e depois do período menstrual.

2. Deficiência de ferro

As mulheres com DII (doença inflamatória intestinal), são mais propensas a apresentarem um quadro de insuficiência de ferro do que aquelas que estão livres desta condição. A deficiência na absorção de ferro, pode resultar do sangramento do intestino.

Por outro lado se o ciclo menstrual for abundante e longo há uma maior possibilidade que os níveis de ferro no organismo sejam fortemente comprometidos, quando se trata de mulheres com DII. Deve consultar o seu médico caso seja esse o seu caso.

3. Questões de fertilidade

Na questão relacionada com a dificuldade ou não para engravidar, pesquisas mostram que as mulheres em estado de remissão da doença de Crohn têm as mesmas possibilidades de engravidar como a população em geral. Já as mulheres que tiverem a doença ativa, ou se porventura tiverem tido uma intervenção cirurgica recente, poderão ter mais dificuldade em conceber.

No entanto deve sempre aconselhar-se com o seu médico, uma vez que até mesmo alguns tratamentos podem dificultar a concepção.

Se as mulheres tiverem engravidado no momento em que a doença estiver em remissão, a gravidez correrá normalmente. Se pelo contrário ocorrer um surto da doença de DII, esta pode agravar-se durante a gravidez ou piorar.

Normalmente os medicamentos administrados para tratamento desta doença são seguros para as mulheres que estão grávidas e até mesmo durante o aleitamento, mas há excepções, pelo que deverá consultar o seu médico.


 Outros sintomas

Inflamação no trato digestivo danifica órgãos e tecidos, causando uma diversidade de sintomas.

Sintomas comuns da doença de Crohn em homens e mulheres incluem:

Diarréia;
Dor abdominal aguda;
Sangramento retal;
Febre;
Perda de apetite;
Perda de peso;
Fadiga, cansaço extremo.

Análise e Identificação

Para que o médico possa fazer uma análise  e diagnóstico adequados, irá perguntar ao paciente sobre o seu historial clínico, sobre os sintomas ou sinais, e encaminhar o individuo para o especialista para que este possa indicar se a pessoa sofre de doença de Crohn.

Testes recomendados:

  • Colonoscopia para verificação de inflamação no interior do intestino;
  • Tomografia Computorizada ou Ressonância magnética;
  • Remoção de pequenas porções ou partículas de intestino para serem testadas – Biópsia.

Tratamento para a doença de Crohn

A medicina ainda não consegue dar resposta sobre o que causa a DII, pelo que ainda não há cura para esta enfermidade.

A teoria é que o sistema imunológico ataca alimentos, boas bactérias e substâncias benéficas como se fossem substâncias indesejáveis.

Durante o ataque, os glóbulos brancos se acumulam no revestimento do intestino, e esse acúmulo desencadeia inflamação. A inflamação leva a ulcerações e lesões intestinais.

No entanto, e para que a doença possa ser mantida em remissão o mais tempo possível, há vários medicamentos que podem ajudar a controlar a inflamação.

Os medicamentos a administrar dependem sempre do grau de gravidade e do estado da doença e dos seus sintomas, mesmo porque e por vezes uma pessoas portadora pode precisar de ser submetida a intervenção cirúrgica.

O tratamento para a doença de Crohn pode incluir:

Antibióticos: Um médico pode prescrever antibióticos para tratar infecções ou complicações, incluindo metronidazol e ciprofloxacina.

Aminosalicylates (5-ASAs): Estes remédios diminuem a inflamação no envoltório dos intestinos. Podem prescrevê-las para tratar sintomas leves a moderados.

Corticosteróides: Esteróides reduzem a inflamação, suprimindo o sistema imunológico.  São denominados imuno-supressores. São prescritos como uma solução de curto prazo para pessoas com Crohn moderada a grave que estão passando por um surto.

Modificadores imunológicos (imunomoduladores): Estes medicamentos suprimem o sistema imunológico do corpo para reduzir a inflamação.

As opções mais usuais incluem azatioprina (Imuran, Azasan), 6-mercaptopurina (6-MP, Purinethol), ciclosporina A (Sandimmune, Neoral) e tacrolimus (Prograf).

Terapias biológicas: Os produtos biológicos visam um caminho específico no sistema imunológico para reduzir a inflamação. Este tipo de tratamento pode ser recomendado sempre que todos os restantes tiverem falhado.

Este tipo de medicamentos e/ou tratamentos têm normalmente efeitos adversos e podem até exercer inter-acção com outros medicamentos que o individuo estiver a tomar, por isso e mais uma vez, e até como acção preventiva deve consultar o seu médico assistente.

Resumindo a Doença de Crohn…

A doença de Crohn é uma condição de longo prazo que afeta ambos os sexos. As mulheres podem experimentar sintomas diferentes dos homens, especialmente se estiverem menstruadas.

Vários tratamentos estão disponíveis para ajudar a reduzir a inflamação e manter a doença em um estado não ativo (adormecido).

De notar que o repouso nas crises da doença e a alimentação têm igualmente um papel preponderante na manutenção do estado da remissão da doença.

Não fumar e não consumir álcool, assim como não ingerir açúcar (açucarados e/ou adoçados) e alimentos ricos em glúten e/ou com grão volumosos,  assim como alimentos picantes,  evitando igualmente os lacticínios, podem ajudar a minorar as dores e o sofrimento destas pacientes.