Home > Problemas de Saúde > Síndrome do Pânico e Ataque de Pânico- Sintomas, Causas e Tratamentos

Síndrome do Pânico e Ataque de Pânico- Sintomas, Causas e Tratamentos


Os ataques de pânico são um sintoma doa Síndrome do Pânico ocorrem devido ao excesso de ansiedade e qualquer pessoa pode sofrer um.

Veja também: Ansiedade – Causas, Sintomas, Tratamentos e Dicas

Esta problema causa um aumento dos batimentos cardíacos, da respiração, um aumento da agitação e ainda outros sintomas.

Pessoas que não sofram com ansiedade também podem ter ataques de pânico se a ansiedade surgir repentinamente e em pico. Os ataques de pânico são também mais frequentes em indivíduos do sexo feminino do que nos homens.

O que é a Síndrome do Pânico

Este problema de saúde é uma condição médica que afeta cerca de 7 milhões de pessoas em toda a América, sendo que o principal sintoma é precisamente o ataque de pânico.

Como já foi dito, as mulheres são o grupo mais afetado, sendo que as idades entre 18 a 25 anos é o que demonstra com mais frequência este tipo de ataques.

Quando a pessoa já sofreu vários ataques de pânico, vai viver em medo de repetir essa experiência. Enquanto que qualquer pessoa pode sofrer um ataque de pânico durante a sua vida, as pessoas que sofrem com Sìndrome do Pânico, podem ter ataques recorrentes.

O medo de sofrer um novo ataque de pânico causa um mau estar nos pacientes que já tiveram essa sensação, que os coloca longe dos amigos e família. Tudo isto porque ficam com medo de sair de casa e estar em locais públicos.

A Síndrome do Pânico afeta assim a qualidade de vida de quem sofre com esse prolema, devendo por isso de ser tratada!

Principais Sintomas

Segundo pessoas que já vivenciaram um ataque de pânico, dizem que é uma das sensações mais desconfortáveis vividas.

De acordo com a Associação Psicológica Americana, o ataque de pânico pode durar apenas 15 segundos, mas os sintomas podem permanecer durante 30 minutos ou mais, por vezes até horas.

A Associação Americana de Ansiedade e Depressão, definiu que um ataque de pânico envolve pelo menos 4 dos seguintes sintomas:

  • Dor e desconforto no peito;
  • Calafrios e sensações de queimação;
  • Tonturas;
  • Medo forte de morrer naquele momento;
  • Medo de perder o controlo e sentir-se “louco”;
  • Sem capacidade para pensar;
  • Batimentos cardíacos irregulares e muito rápidos;
  • Náuseas;
  • Dor de estômago;
  • Formigamento;
  • Tremores no corpo;
  • Excesso de suor;
  • Dificuldade em respirar.

Principais Causas

Os experientes dizem que o pânico e a ansiedade, numa determinada quantidade, é necessário para a sobrevivência. Porém, quando os níveis de ansiedade sobem, o caso pode ser mais grave e originar outros problemas.

Um ataque de pânico pode surgir repentinamente ou após um incidente. Também podem começar sem razão ou causa aparente. Acredita-se que surgem como resposta involuntária ao perigo.

Quando o cérebro recebe um sinal nervoso que serve como alerta de perigo iminente, é ativada uma parte do cérebro, chamada de Amígdala Cerebral. Essa parte controla a resposta ansiosa de uma pessoa.

A amígdala de algumas pessoas, reage apenas com a ansiedade, mesmo sem perigo por perto. Essas pessoas estão mais susceptíveis a sofrer ataques de pânico.

Quando a pessoa recebe o sinal nervoso, o cérebro produz o hormônio adrenalina. Essa adrenalina liberada, vai provocar um aumento dos batimentos cardíacos, transpiração, agitação do estômago, e altera ainda a respiração – sintomas de ataque de pânico.

Quando não há perigo por perto, o sistema fica subcarregado de adrenalina devido à ansiedade sentida, e o hormônio não é usado para fugir. O excesso desse hormônio no corpo vai original ataque de pânico.


Existem sim fatores de risco que podem aumentar a chance de sofrer um ataque de pânico.

Fatores de risco de ataque de pânico:

Se um familiar próximo (mãe, pai ou irmão), sofrer com ataques de pânico frequentes, então terá maior probabilidade de também vir a sofrer ataques de pânico.

Para além da história familiar, viver constantemente em estresse também pode levar a excesso de ansiedade podendo desencadear ataques de pânico.

O falecimento de alguém próximo ou a separação do casamento também são episódios frequentes que levam ao aparecimento de ataques de pânico.

Uma vez que a ansiedade é a principal causadora de ataques de pânico, nunca é demais referir que o excesso de bebidas alcoolicas, bebidas gaseificadas, bebidas com cafeína e fumar também constituem fatores de risco que pode promover o aparecimento de ataques de pânico.

Tratamento de Síndrome de Pânico e Ataques de Pânico





Sessões de psicoterapia e o uso de medicação para controlar a ansiedade são o tipo de tratamentos mais usados neste problema de saúde.

A psicoterapia, também conhecida como “terapia de conversa”, consiste em o paciente conversar com um médico especialista na área para que ele possa identificar os possíveis desencadenates de um ataque de pânico e ajudá-lo a superar os medos.

A medicação, é a ajuda mais eficaz e eficiente para combater a ansiedade através do controlo dos níveis de hormônios nos neurotransmissores.

Exemplos de remédios para ataques de pânico:

  • Benzodiazepinas – São ansioliticos que ajudam a combater o excesso de ansiedade – p.ex: Alprazolam e Clonazepam;
  • Inibidores seletivos da recaptação de serotonina – São medicamentos antidepressivos que aumentam os níveis de serotonina – p.ex: Fluoxetina, Paroxetina ou Sertralina.
  • Inibidores da recaptação de seretonina e norepinefrina – Tal como os anteriores, também são antidepressivos, que para além da seretonina também aumentam os níveis de norepinefrina – p.ex: Venlafaxina

Normalmente apenas uma medicação pode ser suficiente para controlar a ansiedade de uma pessoa. Porém, a mesma medicação pode não ser eficaz noutra pessoa. Ou seja, cada indivíduo tem melhores resultados com remédios diferentes.

A escolha do medicamento (que deve ser única e exclusivamente feita pelo seu médico) terá em conta outra medicação que possa fazer e a sua situação clinica ou outras doenças que tenha.

Importante: Estes remédios quando tomados sem o aconselhamento do médico, podem causar sérios riscos para a saúde! Deve sempre tomar o medicamento prescrito e aconselhado pelo médico! Não se automedique!

O médico também poderá presecrever um bloqueador beta – remédio utilizado para controlar os batimentos cardíacos que geralmente aumentam na presença de ansiedade.

Como  prevenir Ataques de Pânico

Para além da medicação também é importante a prática de algumas técnicas que ajudem a evitar futuros ataques de pânico.

Veja também: Como controlar a ansiedade

A alteração do estilo de vida vai ser uma excelente ajuda no combate aos problemas relacionados com a síndrome de pânico.

  • Evite substâncias com cafeína;
  • Evite fumar ou fumo do tabaco;
  • Durma horas suficientes todas as noites (7-8 horas);
  • Junte-se a um grupo de pessoas que sofram de ataques de pânico e falem;
  • Pratique exercício físico regular;
  • Pratique Yoga.