Home > Problemas de Saúde > Síndrome da Boca Ardente – O que é, Causas e Tratamentos

Síndrome da Boca Ardente – O que é, Causas e Tratamentos

Boca ardente é uma situação que muitos de nós já experimentámos em alguma altura da nossa vida.

Esta é uma condição que não se entende muito bem, porque sem qualquer razão acabamos por ficar com uma sensação de queimação na boca, na língua, lábios, bochechas e até no céu da boca.

Os dados estatísticos apontam para cerca de 15% da população mundial sofrer com este problema. Contudo, a razão porque aparece, permanece ainda uma incógnita.

A sensação de uma boca que queima começa lentamente como se tivesse acabado de beber uma xícara de café ou de chá a escaldar.

Pode durar o dia inteiro, sentindo uma dor intensa e constante, e pode também impedir-nos de dormir uma noite descansada.

A sensação de ter a boca a arder, provoca dor, desconforto acentuado e ocorre com alguma frequência.

As mulheres são as mais visadas (7 vezes mais que os homens), principalmente as as que já se encontram na fase da menopausa.

As alterações hormonais desencandeiam certas reações adversas e podem estar na raiz deste problema de saúde.

Porque temos a boca ardente?

A síndrome da boca ardente é uma condição difícil de diagnosticar e por conseguinte, difícil de tratar, uma vez que é considerada uma condição rara.

Algumas pessoas experimentam com alguma frequência (diariamente) esta condição, enquanto que outras só a têm esporadicamente.

Esta situação pode também ser consequência de outros problemas de saúde, como por ex: de ansiedade ou depressão.

Outros problemas também podem estar associados a esta condição de saúde, tais como as dores de cabeça, dores crónicas, carências vitamínicas do complexo B, carência de certos minerais como o zinco e o ferro e ainda níveis elevados de açúcar no sangue.

Estudos científicos indicam que este tipo de manifestação pode igualmente estar associada a perturbações no funcionamento de certos nervos que afetam o gosto e/ou paladar.

Quais são os Sintomas?

Os sintomas são realmente muito incomodativos e incluem formigamento, ardor, secura, um gosto metálico e/ou amargo na boca.

A gravidade dos sintomas é variável, pelo que nem todos sentem com a mesma intensidade nem os mesmos sintomas.

Estes sintomas variam muito de individuo para individuo, podendo durar desde diversas horas, a até vários dias.

Podem começar de repente, lentamente, desaparecer e reaparecer meses depois.

Alguns indivíduos sente um grande alívio depois de ingerirem algum alimento, comer ou beber, enquanto que outros sentem uma dor crescente ao longo do dia, que os impede de comer ou beber.

Diferentes tipos da Síndrome da Boca Ardente

Esta doença pode ser classificada com base nos sintomas que provoca:

Tipo 1: A pessoa acorda sem nenhuns sintomas, mas estes vão-se manifestando lentamente  aumentando ao longo do dia. Pessoas portadores da diabetes, possivelmente apresentam este tipo de condição.

Tipo 2: Pessoas que apresentam os sintomas, que duram o dia inteiro, dores intensas e constantes, mas que desaparecem durante a noite. Esta condição acontece frequentemente quando o indivíduo tem ansiedade crónica.

Tipo 3: Os sintomas aparecem e desaparecem de forma intermitente e podem ter relação direta com algumas alergias alimentares.

A Síndrome da Boca ardente também pode ser classificada com base nas suas causas:

Primária: Quando não está associado a uma causa concreta que justifique o aparecimento da doença;

Secundária: Quando a doença está associada a um problema de saúde que a provocou.

Causas principais

Existem várias condições que podem provocar o surgimento da boca ardente, tais como:

  1. Ansiedade;
  2. Alergias;
  3. Alterações hormonais;
  4. Secura na cavidade bocal;
  5. Refluxo gastro-ensofágico;
  6. Deficiência de minerais e vitaminas;
  7. Diabetes;
  8. Iterações medicamentosas;

Este é um problema que atinge com maior frequência mulheres acima dos 50 anos, devido às alterações hormonais que se operam após a menopausa.

Isto acontece devido à falta de estrogênio que as mulheres mais velhas apresentam nesta fase da vida.


Diagnóstico

Para que se possa fazer um diagnóstico adequado, deve-se primeiramente excluir as causas e/ou condições subjacentes ou outras patologias, que possam causar esses sintomas.

Para saber ao certo e poder analisar bem os sintomas, o médico poderá querer saber do historial clínico do paciente e quais os medicamentos que toma atualmente.

O médico poderá ainda precisar de alguns exames de diagnóstico, tais como:

  1. Análise da saliva através da utilização de cotonetes;
  2. Biópsia – análise tecidual;
  3. Análises clínicas ao sangue;
  4. Teste de alergias;
  5. Teste de imagem – imagiologia;

Tratamento da Síndrome da Boca Ardente

Para se poder adequar o melhor tratamento, este dependerá do tipo de problema que o individuo possui e se haverá qualquer outra patologia associada.

Tratamento do tipo Primário

Se for do tipo primário, será um pouco difícil de tratar, pois não apresenta uma condição conhecida.

Porém, há sempre algumas medidas úteis que podem reduzir as dores intensas e os sintomas:

  • Evitar o consumo de alimentos ácidos ou muito picantes;
  • Evitar o consumo de certos alimentos conhecidos como provocadores deste tipo de sintomas;
  • Evitar o uso de elixires bucais à base de álcool;
  • Reduzir o estresse;
  • Fazer exercício regularmente;
  • Mastigar pedaços de gelo, pode ajudar a aliviar a dor;
  • Reduzir o consumo de álcool;
  • Ingerir líquidos frios;
  • Deixar de fumar;
  • Fazer uma dieta balanceada;
  • Saber quais as possíveis interações medicamentosas, que possam estimular ou provocar os sintomas e a dor.

Tratamento do tipo Secundário

Por outro lado, quando se trata de uma condição do tipo secundário, geralmente os sintomas de boca ardente desaparecem quando a causa subjacente é devidamente tratada.

Se o que causa os sintomas é o refluxo gastro-ensofágico, o médico poderá prescrever alguns anti-ácidos ou apenas bloquear a formação de ácido, bem como fazer algumas alterações a nível alimentar.

Por outro lado, se houver infeções bucais, o médico poderá prescrever antibióticos e em algumas situações, analgésicos.

Após o devido tratamento é bem possível que este problema fique resolvida em definitivo.

Se houver secura de boca o médico poderá indicar o uso de complexos vitamínicos, ou a toma de injeções de vitaminas, elixires bucais ou pastilhas elásticas sem açúcar, para ajudar a produzir mais saliva.

É bastante importante fazer um diagnóstico atempado para se poder tratar os sintomas de forma mais rápida e adequada, afim de se poderem minimizar os sintomas sentidos, que tanto incomodam.

Conclusão

Podemos assim concluir que a síndrome da boca ardente é uma condição de saúde que causa desconforto, ardor, queimação e dor intensa em várias partes da boca, incluindo os lábios, as bochechas e o céu da boca.

Este problema pode durar desde algumas horas até vários dias, ou acabar de repente e voltar após alguns meses.

Em alguns casos e como se trata de uma condição rara, pode haver tratamento se se souber qual é a causa subjacente.

Evitar consumir alimentos ácidos e/ou picantes que possam agravar os sintomas da doença.

Esta condição não causa problemas de maior, mas é sempre necessário consultar um especialista de saúde para puder apurar se os sintomas advêm na realidade, da Síndrome da Boca Ardente, ou de outro problema mais grave.